Araras

Outrora recoberta por extensas áreas de Mata Atlântica e formadora de inúmeros riachos, a Serra dos Órgãos é a cadeia montanhosa na qual está encravado o município de Petrópolis, no Estado do Rio de Janeiro. Araras, no distrito de Cascatinha, município de Petrópolis, é uma microrregião muito especial, pela sua biodiversidade e beleza natural um vale profundo, de cerca de 53 km2, entre paredes de montanhas que atingem os 1.900 metros, ao longo do qual se estende o rio Araras. A região é parte da Área de Proteção ambiental de Petrópolis - APA Petrópolis.

 

A vegetação original do vale é constituída tipicamente das principais formas de Mata Atlântica: de encosta e de altitude. As matas de encosta cobrem o fundo do vale e suas encostas, até altitudes entre 800 e 1000 metros, e a partir vão sendo substituídas gradativamente pelas matas de altitude, envolvendo os afloramentos rochosos das montanhas formadoras do vale.

 

Os campos de altitude, adaptados à quase ausência de solos nas escarpas íngremes de rochas nuas e nos pequenos platôs e cumeadas das montanhas, possui uma grande diversidade biológica, ainda pouco conhecida (mais de seis espécies descritas como novas nos últimos dez anos), e inúmeras espécies endêmicas.

 

Uma delas, popularmente conhecida como rabo-de-galo ou imperatriz-do-Brasil, com flores lilases e florada no mês de fevereiro, está incluída na Lista Oficial Brasileira de Espécies da Fauna e Flora Ameaçadas de Extinção, do IBAMA. Essa flora e a fauna, também é muito diversificada (lontras, lebres, esquilos, tamanduás, guaches, maritacas, saracuras, jacus e outros tantos pássaros e animais da Mata Atlântica), fazem de Araras um lugar único, merecedor de total preservação ambiental.

 

O nome tem origem na tribo indígena denominada Araras, que habitava as regiões mais quentes (Paty do Alferes, Miguel Pereira e Vale do Rio Paraíba) e subia a serra para caça e coleta de plantas e ervas. Nos tempos coloniais, a serra e o vale abrigaram quilombos, de escravos possivelmente fugidos das fazendas próximas (Sta. Tereza, Sta. Rita, onde ainda se encontram correntes e aparelhos de castigo do tempo da escravatura) e serviram de passagem para os tropeiros que seguiam para as Minas Gerais.

 

No censo realizado em 2000 Araras tinha uma população fixa de cerca de 8 mil habitantes, número que praticamente dobra a cada fim de semana, verão e inverno, pela presença de turistas de todo o Brasil, que vêm desfrutar o clima ameno, a natureza e o conforto da serra.